Aplicativo de fofocas e segredos, Secret é lançado no Brasil.

O aplicativo Secret lançou a sua versão em português nas lojas brasileiras do Google Play e da App Store na última quinta-feira. O app ficou famoso nos Estados Unidos por funcionar como uma rede social anônima, com os usuários postando confissões e compartilhando segredos com amigos – isto sem descobrir quem o está revelando.

Criado por David Byttow e Chrys Bader, o Secret funciona ao criar uma rede de usuários, por meio dos contatos do celular. A empresa garante que os dados são criptografados de modo que a pessoa a revelar o segredo não seja descoberta.

A ferramenta foi criada em agosto de 2013, logo após a saída de Byttow do Google, e permitia apenas que os usuários postassem mensagens anônimas autodestruitivas via SMS ou e-mail. Contudo, a necessidade dos usuários verem as informações diariamente mudou o curso do app que alcançou a segunda posição entre os mais baixados na App Store.

Entre os investidores do Secret estão o ator Ashton Kutcher; o ex-jogador de futebol americano, Joe Montana; o fundador do site Mashable, Pete Cashmore; e as empresa Google Ventures, Kleiner Perkins, Caufield Byers e Fuel Capital.

A ferramenta funciona com os posts das pessoas aparecendo como anônimo.

Facebook vai reconhecer música e show de TV automaticamente.

O Facebook anunciou nesta quarta-feira um novo recurso para seu aplicativo móvel, que reconhece uma música ou programa de TV automaticamente para atualizar o status do usuário. Por enquanto, o recurso estará disponível nos apps de Android e iOS somente nos Estados Unidos nas próximas semanas.

Ao compartilhar uma atualização de status, o usuário terá a opção de usar o microfone do celular para identificar qual música está tocando ou qual programa está passando na televisão. Depois disso, basta publicar na linha do tempo o status “assistindo a Game of Thrones” ou “ouvindo Katy Perry”, sem precisar digitar.

Se o post for sobre uma música, os amigos poderão ouvir 30 segundos da faixa. No caso de programas de TV, o status vai destacar a temporada específica e o episódio que o usuário está assistindo.

Será possível desligar o recurso e escolher com quem o status será compartilhado. Ao ser ligado, um ícone de áudio vai aparecer na tela quando a pessoa estiver escrevendo um status. Se a função encontrar uma correspondência, o usuário poderá escolher uma música, filme ou programa para adicionar ao status.

Segundo o Business Insider, o Facebook fez parcerias com empresas de streaming de música como Spotify, Rdio e Deezer para desenvolver um banco de dados de milhões de músicas que podem ser identificadas pelo recurso em alguns segundos.

Sony não pensa em vender ou sair do negócio de TV, diz CEO.

A Sony não está pensando em vender ou sair do negócio de fabricação de TVs, no qual acumulou perdas anuais na última década, embora não descarte uma parceria, disse o presidente-executivo da companhia nesta quinta-feira.

Segundo Kazuo Hirai, a empresa não estava operando sob a suposição de que iria forjar uma aliança de capital para sua divisão de TV, que será transformada em uma entidade separada no verão do hemisfério norte para aumentar a transparência.

O vice-presidente financeiro da Sony, Kenichiro Yoshida, também disse que a companhia não planeja mudar a estrutura da sua divisão de eletrônicos, com foco em três principais negócios que envolvem dispositivos móveis, de imagens e jogos durante o próximo ano fiscal e além.

Segundo Kazuo Hirai, a empresa não estava operando sob a suposição de que iria forjar uma aliança de capital para sua divisão de TV.

Google passa Apple e se torna marca mais valiosa do mundo.

O Google ultrapassou a Apple e tornou-se a marca mais rica do mundo, segundo o ranking das 100 marcas mais valiosas do mundo desenvolvido pela consultoria Millward Brown Optimor. A companhia de Sergey Brin e Larry Page foi avaliada em US$ 159 bilhões, um aumento de 40% quando comparado ao índice no ano anterior.

Líder do ranking nos últimos três anos, a Apple caiu para a segunda na edição 2014 da lista e sua marca possui um valor de mercado 20% menor em relação a 2013, US$ 148 bilhões. Segundo a consultoria, a empresa fundada por Steve Jobs não está definindo mais tendências de tecnologia para os consumidores, e cita como exemplo a falta de novos lançamentos. Ainda de acordo com Nick Cooper, diretor de gestão da Millward Brown Optimor, o lado inovador do Google também pesou para a companhia assumir a liderança do ranking.

“O Google foi muito inovador no último ano com o Google Glass, investimentos em inteligência artificial e parcerias múltiplas que permitem ao sistema operacional Android ser adicionado em outros produtos, como os carros”, explica o executivo. “Todas essas atividades enviam um forte aviso para os consumidores sobre o que o Google é e tem coincidido com uma redução da Apple”.

A cadeia de restaurantes fast-food, McDonalds, fecha a lista dos cinco primeiros com uma queda de 5% no seu valor de marca em relação ao ano passado, com US$ 86 bilhões.

<strong>Desenvolvimento</strong>
A pesquisa da Millward Brown Optimor feita em parceria com a WPP não avalia dimensão financeira das empresas e seus produtos, mas a opinião do consumidor e sua forma de relacionamento com as marcas.

O valor total das 100 marcas mais valiosas na análise chega a US$ 2,9 trilhões. Isso representa um aumento de 49% quando comparado com 2008, quando a crise financeira atingiu bancos e moedas no mundo todo.

O impressionante campo de golf que flutua no meio do mar.

Não pense que isto é só para os apaixonados pelo golf. Mesmo quem não acerta uma tacada ficaria tentado a pagar por um momento desses – uma barca transformada em court de golf e que leva os jogadores para o meio do mar. Faz parte do The Coeur d’Alene Resort, em Idaho, Estados Unidos, e é uma experiência única.

Cada dia, os funcionários do luxuoso resort levam o campo pra um ponto diferente do brilhante lago Coeur d’Alene, convidando depois os hóspedes a se juntarem ao jogo. O “buraco 14 flutuante”, como se chama a barca inaugurada em 1991 e criada por Scott Miller, levou o resort a ser considerado um dos melhores no quesito da prática de golf.

Por ser o primeiro green deste tipo no mundo, o trabalho dos engenheiros do The Coeur d’Alene Resort é ainda mais inovador, já que eles partiram do zero. Veja o resultado:

FloatingGreen1

FloatingGreen2

FloatingGreen3

FloatingGreen4

FloatingGreen5

FloatingGreen6

FloatingGreen7

FloatingGreen8

FloatingGreen9

Se estiver interessado na história e processo de construção desta barca, dê uma olhada no vídeo, em inglês:

Seis estádios impedem instalação de Wi-Fi, dizem representantes das operadoras de telefonia móvel.

Reresentantes das operadoras de telefonia móvel aproveitaram audiência pública do Senado para reiterar críticas a administradoras de seis estádios que têm colocado dificuldades para a instalação de equipamentos. Isso, nas opiniões manifestadas por representante do setor, poderá comprometer a prestação dos serviços nos estádios durante a Copa do Mundo. A maior dificuldade tem sido a autorização para a instalação de rede Wi-Fi, equipamento que aliviaria a demanda por serviços móveis em grandes aglomerações, por possibilitar conexões sem fio a partir da rede de telefonia fixa.

Segundo o Sindicato Nacional das Empresas de Telefonia e de Serviço Móvel Celular e Pessoal (SindiTelebrasil), devido à falta de autorizações, ainda não foi possível instalar as estruturas nos estádios de São Paulo, Curitiba, Recife, Fortaleza, Natal e Belo Horizonte. De acordo com a entidade, os clientes das operadoras de celular terão acesso gratuito às redes Wi-Fi instaladas por elas nos estádios.

“Para ampliar a capacidade das redes em locais de alta concentração, pode-se usar o Wi-Fi. Mas, no caso dos 12 estádios existentes, seis optaram por ter rede própria de Wi-Fi para, provavelmente, usá-la em rede comercial”, disse o presidente do SindiTelebrasil, Eduardo Levy.

O representante das operadoras citou o Estádio Nacional Mané Garrincha, em Brasília, como referência, já que as autorizações e disponibilização de espaço foram feitas com antecedência. “Nele, todas as empresas se uniram para implantar uma rede única, a exemplo do que foi feito em Londres (durante as Olimpíadas de 2012)”. Ele explica que cada estádio precisa de cerca de 300 antenas para dar conta da demanda. “Mas além disso, precisamos também de uma área com cerca de 200 metros quadrados para instalação de equipamentos”.

De acordo com o presidente da Claro, Carlos Zenteno, a situação “mais urgente” são as dos estádios entregues por último – em especial, o de Porto Alegre, entregue em março, e o de Curitiba, entregue em abril. “Temos poucas semanas para instalar toda uma complexidade de equipamentos. O tempo está contra nós, mas (caso as empresas recebam as autorizações) vamos correr e fazer de todo o necessário para garantir qualidade (do sinal) nos estádios”.

Sobre o sinal em aeroportos, Valente disse que a telefonia móvel de quarta geração (4G) já instalou “soluções paliativas” nos aeroportos Santos Dumont e do Galeão (ambos no Rio de Janeiro), e nos de Congonhas (São Paulo), Salvador, Fortaleza, do Recife e de Brasília. “Estão em andamento as negociações para os aeroportos de Confins (em Minas Gerais), Porto Alegre, Curitiba, Natal, Manaus e Cuiabá, além de Viracopos e Guarulhos (ambos em São Paulo). Em todos esses ainda dependemos de espaço, de negociações ou de ambos”, disse ele.

Estádio Nacional Mané Garrincha, em Brasília, é citado como referência pelo sindicato das operadoras
Foto: Paulinho Menezes/Portal da Copa / Divulgação